Porque Criar?

A raça Angus traz consigo inúmeras vantagens para quem trabalha com a atividade agropecuária. Além dos ganhos de rentabilidade obtidos com a produção da Carne Angus Certificada, o criador tem benefícios dentro da porteira. Animais Angus têm maior liquidez, são dóceis, precoces e obtêm excelentes ponderais de ganho de peso em diferentes condições de clima e relevo.

Porque Cruzar?

A Angus é a raça preferida para uso no cruzamento industrial, procedimento que consiste da mistura de sangue entre bovinos e zebuínos para obtenção de carne de alta qualidade. Anualmente, são comercializadas em torno de 4 milhões de doses de sêmen Angus (Asbia/2016), o que coloca a raça na liderança absoluta do mercado brasileiro. Mas isso não acontece por acaso. A genética Angus, seja para composição de animais ½ ou ¾, confere características diferenciadas à carne que lhe garantem valorização extra e alta liquidez. Cortes produzidos a partir de animais Angus bem terminados têm excelente grau de marmoreio, maciez e suculência diferenciadas.

O cruzamento industrial com Angus também melhora o manejo da propriedade, elevando os escores de ganho de peso, fertilidade e precocidade do rebanho mesmo nas regiões mais áridas do Brasil. A genética Angus ainda reduz a taxa de mortalidade e tempo entre os partos, ou seja, permite a obtenção de mais animais meio sangue em menos tempo.

Neste cenário, o cruzamento industrial se consolida como uma opção ao pecuarista que quer produzir com profissionalismo e ofertar carne com a padronização e a constância que os consumidores nacional e internacional exigem. As vantagens da Angus também sobressaem nos frigoríficos. O alto rendimento no pós-abate, sobretudo no volume de carne depositada nas partes nobres e facilidade de cobertura de gordura subcutânea, fazem o novilho Angus ser mais disputado e, consequentemente, mais valorizado.

Outra vantagem em trabalhar com genética Angus no cruzamento industrial é poder participar do Programa Carne Angus Certificada, criado pela Associação Brasileira de Angus em 2003 e que congrega parceria com os principais confinamentos e indústrias frigoríficas do país. A filosofia por trás do projeto é privilegiar produtores que, de fato, estão envolvidos com as diretrizes traçadas de grau de marmoreio, idade de abate e acabamento de carcaça.

Mercado

Devido às qualidades que apresenta dentro e fora da porteira, a raça Angus tem uma das maiores taxas de oportunidade da pecuária nacional.

Além da excelente liquidez dos rebanhos, tanto na venda de reprodutores quanto de sêmen e animais gordos, a precocidade reprodutiva e o ganho de peso rápido aumentam os resultados devido ao abate precoce e à redução de gastos com alimentação. Sem falar na valorização extra obtida pela Carne Angus Certificada nos mais diferentes mercados.


Fonte: Associação Brasileira de Angus